Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Reflexão

 

Hoje sinto-me assim a modos que para o decepcionada, desiludida e com uma sensação de vazio.

 

Deparei comigo mesma a reflectir sobre a minha vidinha neste mês de Agosto e a sentir-me perfeitamente estúpida.

Levantar-me às 6.30, apanhar o autocarro – rezando fervorosamente para não o perder – chegar ao colégio super cedo, ir até ao café antes de entrar para fazer tempo (sim, porque há pais que ainda não está na hora de abrir o colégio já eles lá estão e eu detesto abusos), limpar as mesas com desinfectante – o que não me compete, mas enfim! -, começar a receber crianças, aturar fitas de crianças mal-educadas com o maior sorriso do mundo nos lábios quando a vontade real era dar umas palmadas nos rabos dos papás pois os meninos estão assim porque não lhes ensinam regras.

 

Depois vamos brincar para o recreio, segue-se a hora de almoço com as tradicionais fitas de “não gosto da sopa” ou então na variante “a sopa tem pêlos”. Fraldas mudadas, mãos lavadas, xixis feitos e ala pra caminha dormir a sesta.

 

Depois é a minha vez de fazer a minha hora de almoço. Que se pode fazer naquele tédio, numa zona tão mortiça? Continuar a trabalhar!

Lá pego eu nos meus livrinhos e vou tratar das planificações para o próximo ano.

 

Hora do lanche. Falta pouco para eu sair. Pego nas minhas coisas e vou apanhar o meu autocarro rumo a casa. E assim se passou mais um dia de trabalho chato e sem graça nenhuma. É que este ano nem actividades dá para fazermos com as crianças pois as disparidades de idades é muito grande e não me pagam para ser a mulher dos 7 ofícios.

 

É que aqui a parva já vai deixando de ser parva… um bocadinho… Se não sirvo para umas coisas também não sirvo para outras. I’ll tell you someday.

 

Take Two

 

 

Não há nada como começar um dia com agitação. Faz a adrenalina disparar e o coração acelerar e, por isso, faz-nos sentir alive!

 

Hoje fui mesmo a primeira a entrar no colégio. Mesmo indo beber café, cheguei ao colégio antes da hora prevista.

Ao abrir o portão sou interpelada por dois homens. Iam limpar os vidros, e tal, se podiam entrar. Eu nunca tinha visto aqueles dois seres na minha frente e nem tinha indicação de tal, por isso, fiz-lhes a vontade (o apetite ao trabalho era nulo): mandei-os voltar noutro dia.

 

Mas o pior é que no meio da conversa… O alarme dispara!!! Fui mais rápida do que uma flecha e vá de ir buscar o código para ir desligar o alarme. Mas é claro que estas coisas nunca correm bem logo à primeira: o raio da porta não queria abrir!

Finalmente, desliguei o alarme e dei descanso à vizinhança.

 

Mais uma entrega com direito a chilique da Maria-mau-feitio, mas hoje não teve direito a colo. Minha rica coluna que passou o fim-de-semana todo a queixar-se.

De resto, tive menos 2 ou 3 miúdos e as actividades que planeei para hoje foram cumpridas com êxito.

 

Aguardemos pela aventura de amanhã…